degeneração macular

Degeneração macular e idade: qual a relação?

Degeneração macular e idade: qual a relação?

Para entender do que se trata a degeneração macular, é preciso saber o que é a mácula. A mácula consiste em uma pequena área da retina, que é responsável pela visão de detalhes. Assim, pode passar por lesões ao longo do tempo, que, por sua vez, surgem com a idade. Isso é chamado de degeneração macular. 

Dessa forma, com a degeneração macular, a visão fica embaçada e aparece uma mancha escura cobrindo o centro da visão. Assim, a condição afeta a visão de longe e de perto. Isso dificulta a realização de algumas atividades diárias, já que apenas a visão lateral ou periférica funciona corretamente.

Agora, você já deve estar entendendo a relação da degeneração macular com a idade. Quer saber mais? Continue lendo e confira!

O que é a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)?

A degeneração macular relacionada à idade é uma doença degenerativa. O principal fator é a idade e aparece em pessoas com 60 anos ou mais. A condição afeta a parte mais central da retina. 

Assim, pessoas com histórico familiar, peles e olhos claros, uso de cigarro, grande exposição ao sol e alta ingestão de gordura são os fatores de maior risco da doença. Além disso, as causas ainda não são conhecidas, porém, é preciso atentar para os grupos de risco.

Os sintomas englobam:

  • Perda visual progressiva;
  • Turvação e distorções visuais que envolvem predominantemente a visão central;
  • Visão com linhas onduladas e distorcidas;
  • Redução na intensidade ou brilho das cores ;
  • Dificuldade em reconhecer rostos.

Tipos de DRMI

DMRI seca

A DMRI seca acomete 90% dos casos. Ela consiste em um acúmulo de proteínas e gorduras, o que é conhecido como drusas. Elas se juntam na camada celular da mácula, o que provoca a sua degeneração. Dessa forma, a condição tem progressão lenta. Além disso, praticamente não leva à perda total da visão, mantendo o campo da visão periférica e se mantém estável ao longo dos anos. 

DMRI exsudativa

A DRMI exsudativa é o tipo mais agressivo, que progride rapidamente e precisa de intervenção para evitar a perda da visão. Nessa condição, existe a formação de vasos sanguíneos anormais e mais fracos na retina, que podem ocasionar o vazamento de fluido, o que afeta diretamente a mácula.

Diagnóstico e cura da degeneração macular

Para diagnosticar a degeneração macular relacionada à idade é feito o exame de fundo de olho com a realização de outros exames específicos, como a retinografia e a angiofluoresceinografia para confirmação completa. 

Ademais, a condição não tem cura. Porém, a seca se estagna e faz com que o indivíduo consiga conviver com ela. Já o tratamento da degeneração macular do tipo exsudativa ajuda a minimizar a sua progressão e pode até auxiliar na recuperação da visão perdida. Por causa da idade, é preciso fazer o controle da doença, monitoramento e consultas periódicas com o oftalmologista.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em Recife e Carpina!

Posted by Douglas in Todos
Degeneração macular: o que é e como tratá-la

Degeneração macular: o que é e como tratá-la

À medida que vamos envelhecendo, o nosso corpo sofre uma série de transformações. E, claro, os olhos também podem ser afetados por esse processo. Uma das principais causas de cegueira em pessoas acima de 55 anos é a degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

Cerca de 3 milhões de brasileiros são afetados pelo problema, mas estima-se que 80% da população nem sequer sabe da existência dele. Por isso, é fundamental divulgar informações sobre a doença, incluindo formas de prevenção e tratamento relacionadas a essa condição.

O que é a degeneração macular?

Sintomas

Essa doença ocular afeta o centro da visão do paciente, fazendo com que o primeiro sintoma seja a vista embaçada. Isso provoca um grande incômodo no dia a dia, pois hábitos simples são afetados, como ver televisão, ler, dirigir e, até mesmo, visualizar o rosto das pessoas.

Assim, o impacto social da doença é considerável, prejudicando, também, a saúde emocional do indivíduo. Portanto, buscar tratamento o quanto antes é fundamental, para evitar a progressão da enfermidade.

Causas

Nessa doença, o alvo é a mácula, uma parte no centro da retina, que permite a visualização de detalhes. Quando ocorre o declínio da atuação dessa região, está instaurado o problema.

Além de a idade ser um fator de risco, pessoas de pele e olhos claros costumam ser as mais afetadas. E, claro, maus hábitos de vida não contribuem em nada para a prevenção do quadro. Por isso, tabagismo, alimentação rica em gordura e exposição ao sol podem estar associados ao surgimento do problema.

Tipos da doença e respectivos tratamentos

A DMRI se manifesta por meio de 2 tipos: seco ou atrófico e úmido (ou exsudativo). O último é o mais raro, mas muito agressivo em termos de evolução para a cegueira.

DMRI seca

Essa é a forma mais comum e leve de degeneração, sendo um processo mais lento, mas nem por isso deve ser negligenciado.

A visão começa a ser perdida porque ocorre uma atrofia da mácula, devido aos resíduos do metabolismo das células da região, que são conhecidos como drusas.

Neste tipo da DMRI, a recomendação médica inclui suplementação com complexos vitamínicos e uso de antioxidantes, que atuam no controle da evolução do problema.

DMRI úmida

Na forma úmida, ocorre a formação de vasos sanguíneos debaixo da retina, afetando a estrutura da região macular. O processo é mais rápido e pode levar à perda irreversível da visão.

Uma das formas de tratar esse tipo da doença é por meio da aplicação, de um medicamento antiangiogênico. Feito com anestésico local, o tratamento tem ação de inibir a formação e o aumento de vasos sanguíneos, o que melhora a visão do paciente.

Entretanto, é importante destacar que o acompanhamento com o médico oftalmologista deve ser contínuo, para o controle constante da doença.

Prevenção da degeneração macular

Como em tudo na medicina, o foco principal deve ser a prevenção da DMRI. Para isso, os bons hábitos de vida devem ser constantes. Algumas orientações são:

  • prática regular de atividade física, que ajuda a manter o bom funcionamento do organismo;
  • alimentação balanceada, com a ingestão de alimentos antioxidantes, como os vegetais verde-escuros;
  • evitar exposição solar demasiada
  • abolição total do fumo, já que esse hábito prejudica as nossas células;
  • consulta regular ao oftalmologista.

Mesmo que a degeneração macular não tenha cura, é possível controlar a doença. Portanto, cuide da saúde dos olhos, tão fundamentais para a nossa qualidade de vida.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em Recife e Carpina!

Posted by Douglas in Todos